As áreas Metropolitanas

As áreas Metropolitanas

                A deslocação da população e das atividades económicas para espaços periféricos conduzem ao processo de suburbanização.

                As áreas metropolitanas são amplas áreas urbanizadas, que englobam uma grande cidade, que exerce um efeito de atração sobre as restantes aglomerações urbanas. Neste espaço desenvolve-se um sistema de inter-relações entre a cidade principal e as cidades envolventes que, por sua vez, também estão ligadas.

                As cidades e os centros urbanos das áreas metropolitanas formam um sistema policêntrico, ligado por relações de complementaridade, que reforçam a coesão do território e promovem maior eficácia de funcionamento e dinamismo económico.

                As áreas metropolitanas são bastante atrativas devido ao seu dinamismo (que atrai população e emprego).

                O dinamismo funcional e territorial assenta numa grande rede de transportes multimodal (vários transportes), onde são efetuados inúmeros fluxos de pessoas e bens.

                Os movimentos pendulares atingem o seu máximo nas horas de ponta e que traduzem uma organização territorial nova, em que não se encontra qualquer coincidência entre o local de trabalho e o local de residência.  

                A expansão dos subúrbios traduz na perda demográfica das áreas centrais da cidade principal. A deslocação da população para os subúrbios é acompanhada pela descentralização de atividades ligadas aos setores secundário e terciário.

                As áreas metropolitanas de lisboa e do porto são fortemente industrializadas, e registam uma grande concentração de população e atividades do setor terciário.

As áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto

                                 ·            Área Metropolitana do Porto

Relativamente jovem;

Saldo natural superior à média nacional e europeia;

Percentagem de idosos é inferior à média nacional e europeia;

Maioritariamente setor terciário. mão de obra empregue na indústria é bastante elevada;

Níveis de instrução muito baixos;

Predominam indústrias de bens de consumo (presença dominante do mobiliário);

Empresas de pequena dimensão, onde as tecnologias mais inovadoras vão entrando mais lentamente;

As indústrias tendem a dispersar-se pela área metropolitana, intercalando-se com os espaços agrícolas;

Tem-se registado um incremento dos serviços, nomeadamente ligados ao ensino superior e à investigação científica;

Têm existido iniciativas, ao nível do turismo, para dar mais visibilidade ao porto e sua região, tendo como referência o seu património cultural e arquitetónico;

Menores movimentos pendulares. Pouca população trabalha fora do concelho onde mora.

 

                                 ·            Área Metropolitana de Lisboa

A distribuição da população tem refletido grandes alterações (perda de população residente em Lisboa a o aumento em concelhos periféricos). Como causa disto: crescente terciarização do concelho de Lisboa, que se associa ao aumento do preço do solo, dificultando a aquisição de habitação, ao aumento do trânsito urbano e à degradação ambiental;

O concelho de lisboa é o que exerce maior atração sobre os trabalhadores de outros concelhos -> intensos movimentos pendulares;

O setor terciário é o que emprega mais população;

Região mais industrializada do país;

Forte concentração de indústrias de bens de equipamento;

Muitas indústrias de capital intensivo que necessitam de mão de obra muito qualificada;

Grande dimensão de empresas » concentram-se na periferia de Lisboa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s