Subsolo

Subsolo

No subsolo podem existir várias camadas (estratos). A crosta terrestre é a camada mais próxima da superfície terrestre. Comparada com o manto ou o núcleo é uma camada muito fina. É no subsolo que encontramos todos os recursos minerais e água infiltrada por fendas que se deposita nas toalhas freáticas. Esta água fica quase purificada devido a atravessar várias camadas rochosas para além disso ao atravessar várias camadas também ganha características químicas específicas consoante as rochas que vai atravessando.

No subsolo existem três grandes grupos de rochas: rochas ígneas, sedimentares e metamórficas. As rochas ígneas (magmáticas) são resultado de material eruptivo, têm origem no interior da terra. Afloram à superfície da terra através de erupções vulcânicas, ao chegar à superfície vêm sob a forma de lava, que em contacto com o ar solidificam. As rochas magmáticas mais conhecidas são o basalto e o granito, geralmente são escuras e duras. Em Portugal as cadeias montanhosas onde surgem estas rochas são a Serra da Estrela, a Serra de Sintra, a Serra do Gêres e a totalidade da RAA e da RAM. Estas rochas podem ser intrusivas e extrusivas. As primeiras também são conhecidas por plutónicas ou abiçais – são formadas a partir do arrefecimento. As segundas são conhecidas por vulcânicas ou efusivas.

Os recursos do subsolo

As áreas de exploração dos recursos minerais

Recursos do subsolo

® Explorados através da indústria extrativa.

® São as matérias-primas para a indústria, para a construção civil e obras públicas.

 

  • Os recursos minerais classificam-se em vários tipos:

Minerais metálicos ® Ferro, Cobre, volfrâmio ou estanho.

Minerais não metálicos ® Sal-gema, feldspato, quartzo ou gesso.

Minerais energéticos ® Carvão, petróleo, urânio ou gás natural.

Rochas industriais ® Calcário, granito ou argila.

Rochas ornamentais ® Mármore, granito ou calcário cristalino.

Águas subterrâneas ® Destinam-se ao engarrafamento ou ao aproveitamento termal.

 

  • Em Portugal Continental podemos encontrar três unidades geomorfológicas:

Maciço Antigo/ Hespérico

            ® Unidade mais antiga do território

            ® Granitos e xistos

            ®Jazidas mais importantes de minerais metálicos (cobre, ferro…); minerais energéticos (carvão, petróleo…); e rochas                 ornamentais (mármore e granito).

Orlas sedimentares

            ® Rochas industriais (calcário, areias, arenito…)

Bacias do Tejo e do Sado

            ® Unidade mais recente ® Formada pela deposição de sedimentos de origem marítima e fluvial

            ® Rochas e Argilas

Regiões autónomas

            ® Rochas magmáticas

            ® Exploração pouco relevante

 

Alentejo ® Maior valor de produção

Algarve e Regiões autónomas ® Menor valor de produção

 

Minerais metálicos

Ferro

® Alentejo

® Insuficiente ® Grande parte é importado

® Encerramento de algumas minas devido ao baixo teor do mineral

            Cobre

® Alentejo

® Temos as maiores reservas da U E

® Somos os maiores produtores na U E

            Estanho

® Alentejo

            Volfrâmio

® Abundantes reservas em Portugal

® Alentejo

® Está em crise devido à concorrência chinesa (vende a baixos preços) ® Não conseguimos competir

 

Minerais não metálicos

Sal-Gema

® Lisboa, Leiria e Faro

Quartzo e Feldspato

® Norte e Centro

Caulino

® Próximo do Litoral especialmente no Norte

Minerais energéticos

O nosso país está fortemente dependente destes recursos.

Carvão

® Não renovável

® Todo o consumo nacional é importado ® Colômbia, África do Sul e EUA

            Petróleo

® É o recurso energético mais utilizado no nosso país

® Importado

Gás natural

® Importado ® Argélia e Nigéria

            Urânio

® Centro

® Exportação

Energia geotérmica

® Renovável (utiliza calor libertado pelo interior da Terra)

® Açores ® Energia elétrica

            Águas subterrâneas

® Águas minerais naturais

® Águas de nascente

® Águas termais

 

  • Impactes ambientais da indústria extrativa

® Contaminação dos solos e das águas;

® Degradação da paisagem;

® Poluição atmosférica e sonora.

 

  • Problemas na exploração dos recursos do sobsolo

® Acessibilidade;

® Custos de exploração;

® Custos da mão de obra;

®Encerramento de muitas minas;

® Atraso tecnológico.

 

  • Localização dos Minerais

Minerais Metálicos – Centro.

Minerais não metálicos – Centro e Norte.

Rochas industriais e ornamentais – Litoral.

Rochas Ornamentais – Alentejo.

Águas minerais naturais e águas de nascente – Norte e Centro.

 

Novas perspetivas de exploração e utilização dos recursos do subsolo

® Novas técnicas de prospeção ® Conhecimento mais rigoroso dos recursos do subsolo

® Desenvolvimento da industria transformadora ® Evita exportação em bruto

® Implementação de medidas de requalificação ambiental e a valorização económica de áreas recuperadas.

® Investimento nos subsetores com mais potencialidades (rochas e águas termais e minerais).

® Aproveitamento dos recursos renováveis.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s