Principais fatores que influenciam a riqueza piscatória

Relação entre os Acidentes do Litoral e Portos marítimos

 

As características da costa portuguesa são pouco propícias à instalação de portos marítimos com condições favoráveis à navegabilidade.

Falo então da profundidade e da agitação do mar e da deficiência em reentrâncias

Em relação à agitação do mar, isto faz com que os portos portugueses se localizem, frequentemente, a sul dos acidentes do litoral, procurando contornar a adversidade desta inconveniência. Isto acontece porque o vento sopra de Norte, e como a formação das ondas é gerada pelo vento, o lado Norte dos acidentes torna-se então mais agitado, preferindo o sul para a construção de portos abrigados.

Nos estuários a localização dos portos encontra-se no próprio acidente.

Deste modo, como a costa portuguesa é praticamente retilínea é necessária a construção de portos artificiais (paradões), dos quais a Povoa do Varzim constitui um exemplo.

Principais fatores que influenciam a riqueza piscatória

  • Temperatura da água – zonas onde há encontro de correntes quentes com correntes frias, há maior abundância de peixe, pois a oxigenação da água é maior.
  • Luminosidade
  • Salinidade
  • Oxigénio da água

 

Em conclusão, dependem da profundidade e das correntes marítimas.

Todos estes fatores contribuem para uma maior ou menor abundância de plâncton.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s