Evolução da população portuguesa

  • Taxa de mortalidade infantil

A TMI diminui drasticamente entre 1950 e 2004.

Isso deve-se:

  • Generalização de uma rede de assistência materno-infantil (acompanhamento das grávidas)
  • Realização dos partos em hospitais
  • Generalização da vacina infantil
  • Melhoramentos nas condições de vida.

Contrastes

A TMI evidência contrastes entre o litoral e o interior e entre o norte e sul.

  • Crescimento natural

 

O crescimento natural diminui significativamente entre 1960 e 2004.

Numa primeira fase deveu-se à descida da taxa de natalidade. Como a taxa de mortalidade já se encontrava baixa não influenciou muito esta descida.

Numa segunda fase, para além da taxa de natalidade observou-se uma ligeira subida na taxa de mortalidade o que agravou a redução no crescimento natural.

A média do crescimento natural em Portugal é idêntica à média da UE, existindo países em situações mais graves uma vez que apresentam um crescimento natural negativo, como a Bulgária e a Hungria.

Estes valores devem-se ao envelhecimento da população.

  • Movimentos Migratórios

Durante muitos anos Portugal foi um país de Emigração, atingindo valores bastante altos na década de 60. Os portugueses dirigiam-se sobretudo para a França e Alemanha, devido ao facto de estes países necessitarem de mão de obra após a destruição provocada pela II Guerra Mundial.

Na década de 70, registou-se uma inversão dos valores até ai registados. E Portugal deixa de ser um país de emigração para ser um país de imigração. Esta tendência ficou a devera à queda da ditadura em 1974.

Atualmente devido ao aumento do desemprego, regista-se um aumento do fluxo emigratório.

 

 

Estrutura etária da população

Estrutura etária               Repartição dos indivíduos por idades e sexo.

Esta está dividida em 3 grupos:

  • Jovens ( ≤ 15 anos)
  • Adultos (15-64 anos)
  • Idosos (≥ 65 anos)

A análise da estrutura etária é importante para caracterizar a população, uma vez que reflete variáveis demográficas como:

  • Natalidade
  • Fecundidade
  • Mortalidade
  • Mortalidade infantil
  • Movimentos migratórios

Tipos de pirâmide

  • Jovem/Crescente
  • Adulta/Transição
  • Idosa/Crescente
  • Rejuvenescente

Evolução da estrutura etária da população portuguesa

1960

População predominantemente jovem

Taxa de mortalidade infantil elevada

Esperança média de vida relativamente baixa

1981

Redução do número de jovens e por isso um ligeiro envelhecimento da população

Redução da natalidade e da mortalidade (alargamento da faixa da população adulta e idosa). Traduz-se num aumento da esperança média de vida e portanto inicia-se um processo de envelhecimento

1981-2001

Acentuou-se o processo de envelhecimento

Estreitamento da base (população jovem)

 

2050

Prevê-se uma continuação do que já acontece, portanto um envelhecimento da população.

Setores de atividade predominantes

  • Redução da população no setor I à medida que o país se desenvolve e se mecaniza em relação à agricultura;
  • Aumento da população ativa no setor II, como o decorrer do processo de industrialização
  • Redução gradual da população ativa no setor II, devido ao desenvolvimento tecnológico aplicado à indústria e ao crescimento do setor III
  • Aumento gradual da população ativa no setor III, à medida que o outros setores se vão modernizando e incorporando mais serviços

Nível de instrução e qualificação profissional da população portuguesa

O nível de instrução da população mede-se pelo grau de analfabetismo.

Apesar das diminuições verificadas. Este problema ainda afeta 9% da população portuguesa.

Outra diferença importante ao nível de escolaridade da população portuguesa reside no género, onde os valores de analfabetismo são superiores nas mulheres. No entanto com a escolaridade obrigatória, a taxa de analfabetismo tende a diminuir ou mesmo a desaparecer.

Em suma, a população apresenta um baixo nível de escolaridade uma baixa qualificação profissional. Isto traduz-se em consequência graves para a economia portuguesa.

Que problemas caracterizam a evolução da população portuguesa?

  • Envelhecimento
  • Declínio da fecundidade
  • Baixo nível educacional
  • Desemprego

ENVELHECIMENTO

Consequência do envelhecimento da população

  • O Aumento do índice de dependência dos idosos faz com que a população ativa tenha cada vez mais encargos com a população idosa.
  • A diminuição da população ativa conduz a uma redução na produtividade no país
  • A diminuição do espirito de dinamização e inovação, que em geral são características da população jovem
  • Aumento dos encargos sociais com a as reformas e com a assistência medica aos idosos
  • Redução da natalidade, uma vez que estão a reduzir os escalões etários conde a fecundidade é mais elevada.

DECLÍNIO DA FECUNDIADE

Outro problema com que Portugal se depara é o declínio da fecundidade, que está associado à redução da natalidade.

O problema é que Portugal não consegue assegurar a renovação das gerações, uma vez que está abaixo do limite mínimo de 2,1 filhos por mulher, apresentando cerca de 1,5 filhos.

O declínio da fecundidade está sobretudo relacionado com a emancipação da mulher, que passou a ter uma carreira profissional mais ativa, adiando ou até mesmo excluindo a maternidade nos seus planos de vida.

BAIXO NÍVEL EDUCACIONAL

Portugal apresenta um baixo nível educacional que se encontra abaixo da média da U.E.

Este indicador reflete-se na taxa de alfabetismo que afetava cerca de 9% da população em 2001.

Quanto à escolarização da população ativa, um fator primordial para a produtividade, a competitividade da economia e o desenvolvimento do país, o panorama é mau.

DESMEMPREGO

O desemprego afeta a qualidade de vida da população.

Portugal apresenta uma taxa de desemprego superior à média comunitária e tem vindo a aumentar.

As baixas taxas de desempego escondem por vezes situações de precariedade, com reflexos na qualidade de vida da população. São os casos do subemprego e do emprego temporário, frequentes na economia portuguesa, que, quando não são uma opção dos trabalhadores, geram situações de grande instabilidade.

A instabilidade do emprego deve-se a fatores como:

  • Baixa qualificação
  • Fraco investimento em I&D

 

 

 

 

 

 

Solucionar os problemas

Como incentivar a natalidade?

Políticas demográficas
Antinatalistas Natalistas
Predomina nos países menos desenvolvidos

Tenta reduzir a natalidade de um país

Utiliza medidas de sensibilização ou de coação

Predomina nos países desenvolvidos

Tenta aumentar a natalidade de um país

Utiliza medidas de sensibilização e incentivos económicos e fiscais

Portugal como país envelhecido que é, deveria adotar medidas que incentivassem a natalidade.

Para rejuvenescer a população portuguesa, o governo deveria dotar medidas concretas, tais como:

  • O criação de uma legislação de trabalho que proteja mais a mulher durante e pós a gravidez
  • Criação de benefícios fiscais para as famílias com vários filhos
  • Aumento da duração da licença de parto para a mãe e para o pai
  • Melhoramento e a gratuitidade de todos os serviços de assistência materno-infantil

Como qualificar a mão de obra portuguesa?

  1. Reduzir o abandono escolar
  2. Valorização das pessoas pelas empresas e estado

Para alcançar estes objetivos, torna-se importante:

  • Aumentar o investimento na investigação
  • Aumentar a qualificação da população
    • Mais novos
      • Prosseguir os estudos
      • Envergar por cursos superiores
    • Mais velhos
      • Incentivos às novas oportunidades
      • As próprias empresas podem dar formação aos trabalhadores

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s